sexta-feira, 15 de junho de 2018

A minha mãe está doente

A minha mãe está doente. "Ela pode estar por horas", ouvi no outro dia da boca de um dos médicos que agora a segue. É esta a razão pela qual me tenho afastado do blog. Por muito que gostasse muito de o ter em dia, cheio de temas e coisas giras, neste momento deixou de ser uma prioridade. Tenho outras, tantas outras. Tenho de manter a baby L. feliz, embora se esteja a aperceber de tudo aquilo que estamos a viver, tenho de manter a casa em ordem, o trabalho em dia e a minha presença no hospital.
É lá que está a minha mãe, numa unidade de cuidados intensivos, que dá arrepios só de entrar.
Acho que já não me deixo melindrar pelo frio dos corredores, pelas imagens de sofrimento a que assisto todos os dias, no mesmo local. Já vi mais do que alguma vez pensei ser possível.
Tenho o corpo dormente. Vivo quase que em piloto automático. Há ações que tenho a certeza que só as faço por já as saber de cor.
Os dias são vividos com uma intensidade que às vezes quase me faz desligar o corpo.  São já muitos meses deste problema, desta dor. Já é muito tempo a ver a minha mãe a fugir-me por entre os dedos. Não tenho conseguido agarrar a vida dela como queria. Está frágil, muito frágil.
Gostava de fazer mais, de ter feito mais, mas gostava que sobretudo quem podia ter feito mais que tivesse feito. Não tenho conseguido dar asas à criatividade. Não me tem apetecido tirar fotografias, editar, gravar. Nada. Tenho vivido em modo: filha, mãe,profissional, mulher, mas tenho tido pouca margem de manobra para mais.
Que me desculpem aqueles que, por vezes, me procuram, mas não tenho tempo. Não tenho sequer vontade. A minha realidade agora é esta. E o blog, vai ter de continuar a existir sem ser a minha prioridade.
Quis só passar-vos esta mensagem. Eu que quero tanto isto, que prometo voltar com regularidade e temas novos e que acabo sempre por não aparecer. Pensei que a vida estava a correr o rumo certo, mas não está.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Um ano de blog

Querido blog,
desculpa a nossa ausência, mas há coisas na vida que não se controlam!!
Há um ano este blog nasceu cheio de emoção. Era um projecto que tinha em mente há muito tempo e o entusiasmo era grande. Partilhar histórias da vida real era o que se pretendia. O desejo de fazer-vos rir e chorar era enorme.... Porém a meio do percurso as coisas perderam-se. Lamentavelmente a vida deu umas voltas que me deixaram meio sem rumo. Trabalho, família, tudo num turbilhão. Perdi as forças, confesso, nesta que é uma luta diária a de ser mãe, filha, mulher,companheira,  irmã... e por aí fora. Nos últimos meses tive de me desdobrar em grande parte entre o trabalho e as funções de mãe e filha a tempo inteiro. A vida assim me obrigou. Para isso tenho sacrificado alguns projectos, algumas vontades, mas a vida é mesmo assim.
Ainda não estou bem organizada, não, mas prometo que o blog vai voltar a mexer. Este é um projecto meu e da Leonor e por isso está na hora de votar a arrancar em força. Não terei oportunidade de o fazer todos os dias, eu sei que não, mas prometo fazê-lo regularmente. Sinto que tenho um propósito em relação a este tema e quero partilhar...
O blog fez ontem, dia 1 de maio, um ano. Desde outubro que não pegava nele, mas desta é de vez.
Vou organizar-me e partilhar, partilhar muito... Aventuras como as de mãe e filha não podem ficar escondidas nem guardadas a sete chaves. Afinal de contas o amo é partilha.
E cá estamos nós em maio. No mês do blog, no mês da Leonor e no meu mês.
Estamos de volta e viemos para ficar...

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

São, literalmente, coisas de gaja!

Socorro! Ela está mesmo a crescer a uma grande velocidade. Ainda ontem não fazia mais nada a não ser comer e dormir e agora já anda de gaveta em gaveta, armada em pirosa a ver o que é que pode usar.
Agora anda na onda das pinturas. Ora pede para me pintar a cara, ora pede para me pintar as unhas, se bem que acaba por me pintar dedos inteiros.
O engraçado é que ela usa sempre a mesma desculpa: "é para aprender as cores", esperta não?
Apesar de se tornar chata, porque a cada cinco segundos pede para mexer numa coisa diferente, é tão engraçado vê-la tomar gosto por estas coisas. Vai ser daquelas bem pirosas. Está visto. Será que vou sobreviver?
Muitas pessoas criticam estas coisas, mas eu sou meio maluca e alinho em tudo. Deixo-a fazer trinta por uma linha comigo, desde que ela se divirta...É o mais importante. O resto que se lixe.
As unhas dela é que ainda não a deixo pintar com os meus vernizes. Mas também já arranjámos solução. Comprámos uns vernizes muitos giros para ela feitos à base de água. Existem em dezenas de cores, secam num instante e saem ainda mais facilmente. Talvez por esta última parte ela ligue pouco a eles e prefira, a todo o custe, que a deixe usar os meus. Ela até faz beicinho, mas a mamã ainda não deixa.
Alguém por aí com sugestões que alimentem esta veia vaidosa da minha filhota de forma saudável  de forma lúdica?
Bem... mas agora se me permitem tenho de me ausentar, é que a minha pirosa está a chamar por mim, e se ela chama... se ela chama eu vou!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Subsidio pré natal? Nós explicamos...

Quando a maior parte das mulheres descobre que está grávida acho que há sempre aquele misto de alegria total com medo do desconhecido.

Medo de não saber o que fazer em determinado momento e medo, sobretudo, dos encargos que uma gravidez acarreta.

Uma coisa que algumas das mulheres não sabem é da existência de algumas coisas como, por exemplo, o subsídio pré-natal. Acham que é mentira? Olhem que já falei com muitas mamãs que não sabia da existência desta pequena ajuda.

Se me está a ler e está grávida ou conhece alguém que esteja à espera de bebé e nunca ouviu falar deste subsidio esteja atenta às próximas linhas.

O abono pré-natal é um apoio monetário, dado pelo Estado, às futuras mamãs. Esta prestação funciona como incentivo à maternidade e atribuída à mulher grávida, a partir da 13ª semana de gestação.

Este abono tem um valor igual ao do abono de família para as crianças com idade inferior a um ano e varia consoante os rendimentos do agregado familiar e que a criança está inserida.

A verdade é que este valor pode ajudar, alguma coisinha, no que diz respeito às despesas acrescidas que uma gravidez provoca.
Para ter-se direito a este subsidio é preciso reunir-se algumas condições é certo, mas acho, sinceramente, que todas as grávidas o devem requerer, independente de depois ser aprovado ou não.

Para ter acesso ao pré-natal a mulher grávida deve
Ter atingido a 13.ª semana de gestação;
Ser residente em Portugal ou ter estatuto equiparado a residente;
Ter o rendimento de referência igual ou inferior ao valor estabelecido para o 3º escalão de rendimentos (igual ou inferior a 1.5xIASx14).
O valor do IAS (Indexante dos Apoios Sociais) é de 421,32€.
Para alem disto, ainda é necessário ter em conta, que segundo as regras, o requerente do abono de família pré-natal e o seu agregado familiar não podem, à data do requerimento, ter património mobiliário (tais como depósitos bancários, ações, obrigações, certificados de aforro, títulos de participação e unidades de participação em instituições de investimento coletivo) no valor superior a 101.116,80€, valor que corresponde a 240xIAS.

COMO CALCULAR O VALOR DO RENDIMENTO DE REFERÊNCIA?
O rendimento de referência é calculado através da soma do total de rendimentos de cada elemento do agregado familiar, a dividir pelo número de crianças/joven com direito ao abono de família, nesse mesmo agregado, acrescido de um e de mais o número de nascituros.
O valor apurado através deste cálculo insere-se em diferentes escalões de rendimentos.
O abono pré-natal é atribuído por 6 meses, a partir do mês seguinte àquele em que se atinge a 13.ª semana de gravidez.
Nos casos em que o período de gravidez for superior a 40 semanas, o abono de família pré-natal é atribuído por 6 meses ou até ao mês do nascimento, inclusive. Se o período de gravidez for inferior a 40 semanas, este é atribuído por 6 meses, podendo ser acumulado com o abono de família para crianças e jovens após o nascimento.
Se ocorrer interrupção da gravidez, o abono é atribuído até ao mês da interrupção da gravidez, devendo esse facto ser comunicado aos serviços da Segurança Social.

Existem vários escalões mas este apoio pode chegar aos 146 euros por mês.

Acho que é muito importante alertar para este tema, porque acreditem existem muitas mamãs mal informadas sobre este tipo de direito.
Apesar  em traços gerais aqui estar uma pequena explicação do que é este subsidio pré-natal, nada como visitar o site da segurança social e saber, ainda, mais pormenores.


Vá lá...toca a mostrar interesse que nós já ajudámos um bocadinho...

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Voltámos para ficar!

Acredito piamente que tudo na vida tem uma razão de acontecer. Sei que não tenho atualizado o blog, mas tem acontecido tanta coisa... Mas este é um projeto que veio para ficar e, portanto, vamos lá trabalhar nisto... 
Levei na cabeça de uma amiga, que mesmo estando longe me deu uma força enorme. Esse foi o primeiro aviso de que tinha de voltar. Para além disso aconteceram uma data de coisas que me fizeram pensar: "é agora" e vai ser... Este texto é escrito hoje um bocadinho a correr, porque estou a sair para uma consulta médica, uma vez que dei cabo de um pé... Mas não há problema que tudo se há-de resolver, até porque descobri que a minha Leonor é uma ótima enfermeira... 
Preparem-se para os próximos textos... Isto ainda agora vai começar!!!!
Vamos lá esquecer o preto e branco da vida e colorir isto tudo com as cores do amor...

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Uma questão de pormenores...

Sempre fui fã do verão, do calor, das roupas frescas, coloridas...
No que diz respeito às crianças, confesso que sempre adorei os fatos de banho dos mais pequenos... Aqueles com folhinhos então matam-me...

A Leonor tem um que me deixa sempre a pensar: "bolas, fica-lhe mesmo bem". Foi lhe dado no ano passado, usei e abusei dele, mas é de boa qualidade e como está impecável este ano continua a usá-lo... Obrigada Andreia Campos por este mimo... Ah  já agora podem visitar  loja desta minha amiga a Maria Pailona. Esta loja tem coisas fantásticas não tão dedicadas aos bebés, mas sim a nós mães, que não nos podemos esquecer que somos mulheres e que também devemos andar sempre impecáveis...

Bem mas onde íamos? Nos fatos de banho, claro... A Leonor tem imensos. Acho que não me consigo controlar e agora só me falta arranjar um matchi-matchi...
Este que é o meu preferido e que já vos mostro nas fotos no final desta publicação seria uma boa opção... Claro que a ela lhe fica melhor a ela do que a mim, mas os pormenores, sobretudo das alças matam-me... Fica tão fofinho...

Bem... Resumindo, têm sido dias fantásticos com a Leonor. Ela tem adorado a mamã estar em casa e arranja mil atividades para fazer, sim é ela que me controla a agenda e não vice-versa...

Ora quer piscina, ora praia, ora parque... e eu deixo-me ir. Acho que enquanto posso o tempo deve ser só dela.

Vá e digam lá que o raio do fato de banho não é fofinho?
Já sabem, se quiserem falar connosco podem fazê-lo através do email amaeimperfeita@gmail.com






terça-feira, 27 de junho de 2017

Brincar precisa-se!

Ok...ok... É verão é certo, mas existem coisas divertidas para fazer-se dentro de casa. Por um lado podemos fugir aos pingos inesperados para esta altura do ano, por outro lado podemos estar mais fresquinhos e fugir à torreira do sol exagerada...

Eu descobri uma coisa que a Leonor adora fazer: construções. Desde que comprámos os blocos que noto que ela tem aprendido a brincar em conjunto e até sozinha. Adora montar e desmontar blocos. Diz que vai construir as mais variadas coisas e é uma alegria.

Acho que é uma forma divertida de passar o tempo com eles, para além disso podem ser muito didáticos. É que ao mesmo tempo que os fazemos puxar pela imaginação com as construções ainda lhe podemos ensinar o pequeno, médio, grande muito grande, recorrendo ao tamanho das peças.

Para além disso podemos também ensinar-lhe as cores, recorrendo às de cada peça e, ainda, os número pedindo-lhe que nos passem uma peça, duas peças, três peças e por aí a fora...

No caso da Leonor tem funcionado bem. Confesso que a parte chata é que existem sempre peças espalhadas pela casa. Volta e meia lá ando eu  recolhê-las  e a guardá-las no saco delas. Mas a verdade é que vejo que ela se concentra bastante, bem como tem aprendido muito, o que ainda é melhor...

Quanto à arrumação vou eu arrumando...Ela tem tempo para prender a deixar tudo direitinho mais tarde, embora às vezes se lembre de arrumar uma ou outra peça sem termos de ser nós  a pedir que o faça...

Rendida me confesso as blocos. E se quando tinha  a idade dela não os fazia desforro-me agora a criar com ela...

Emails para amaeimperfeeita@gmail.com ou visite a nossa página de facebook ,,,